Pela terceira vez no mês de março, Hailey Baldwin estampa mais uma capa e mostra tanto ao público quanto para seus fãs que 2017 é o ano da modelo: a da vez é a revista semanal britânica The Times, edição do dia 11 de março. Hailey realizou um pequeno shoot para a revista durante sua curta passagem em Londres, usando roupas da H&M – que inclusive, é um dos temas da entrevista que ela concedeu a jornalista inglesa Harriet Walker. Fora falar sobre sua nova coleção com a marca H&M, Baldwin comentou sobre os motivos de ter se afastado das redes sociais, falou sobre política e diversas outras coisas que até então, ela não tinha comentado em nenhuma de suas entrevistas recentes. Confira abaixo as fotos, realizada pelas câmeras do fotógrafo profissional Arved Colvin-Smith, styling por Rachael Dove, cabelo por Adrian Clark e maquiagem de James O’Riley:

methode252Ftimes252Fprod252Fweb252Fbin252Fe8cfed54-0323-11e7-976a-0b4b9a1a67a3.jpg methode252Ftimes252Fprod252Fweb252Fbin252Fb0431082-0324-11e7-976a-0b4b9a1a67a3.jpg methode252Ftimes252Fprod252Fweb252Fbin252F4cac4de4-04ec-11e7-976a-0b4b9a1a67a3.jpg methode252Ftimes252Fprod252Fweb252Fbin252Fe8cfed54-0323-11e7-976a-0b4b9a1a67a3.jpg methode252Ftimes252Fprod252Fweb252Fbin252Fb0431082-0324-11e7-976a-0b4b9a1a67a3.jpg

 

O que você precisa para alcançar nove milhões de seguidores (e contando)? Um corpo de dançarina, um pai super famoso, as irmãs Hadid na discagem rápida – e um hábito de tirar selfie o dia inteiro. Harriet Walker se encontra com a Instamodel Hailey Haldwin.

Você vai fazer minha entrevista e dizer “Ela ficou lá e tirou selfies o tempo todo?” Lista de descendência das melhores, estrela do Instagram e modelo Hailey Baldwin me pergunta, enquanto ela fica lá tirando selfies.

Na verdade, seu agente que está tirando as selfies – o equivalente digital da grande Marie Antoinette – enquanto Baldwin posa vestindo calças tão largas que o pequeno sutiã que ela usa parece não só extravagante mas também necessário para o equilíbrio da roupa.

Depois de gastar alguns minutos ajustando angulos (há um problema com suas calças no espelho), ela senta no braço da poltrona à minha frente, com os olhos na tela, digitando. Sem olhar para cima: “Então, você?”

“Bem, Hailey,” Eu respondo com a minha melhor voz, um tom firme, mas gentil, “se você colocar essa porcaria para baixo, eu não precisarei, né?”

Brincadeira: Eu não disse isso, obviamente. Eu resmungo algo sobre ela levar o tempo que precisar. Seu pai, ator de Os Suspeitos e Former Wild Child, Stephen Baldwin; Alec Baldwin (30 Rock, e o mais recente Trump no Saturday Night Live) é seu tio. Você não compra uma briga quando os temperamentos correm na família. Quando cheguei no set, a primeira coisa que o fotografo e a estilista me falaram foi: “Ela sabe o que quer” enquanto usavam a mesma expressão do emoji ansioso mostrando os dentes.

Hailey Baldwin é uma linda garota de 20 anos de idade, mas ela está vestida como uma adolescente. Ela até age um pouco como uma também. O estudio está cheio de pessoas andando ao redor dela, e há mais nove milhões.

“Nós podemos começar. Eu estou prestantando atenção” ela diz, ainda digitando.

Baldwin é parte de um grupo de jovens mulheres que estão entre as mais fotografadas no mundo agora. Elas são seguidas e acompanhadas atentamente pelos milenário pela geração Y que usam as midias sociais, e pagas generosamente pelos mais velhos encarregados de marcas que querem ficar com crianças.

Sua propria contagem ainda não está na mesma liga que as de suas amigas e companheiras Insta It Girls, Gigi Hadid e Kendall Jenner, irmã mais nova de Kim Kardashian (30,3 milhões e 75 milhões de seguidores, respectivamente), mas o fato que ela costumava sair com Justin Bieber não machucou os seus numeros. Além disso, nove milhões é mais do que suficiente para ganhar a vida em um mundo onde um único post pode valer £200.000.

“Nós tivemos um momento de “Eu te amo” no avião,” ela me disse, tendo voado para Londres com Gigi Hadid e sua irmã Bella naquela manhã. “Nós estavamos sentadas perto da outra, mas estavamos mandando mensagens umas para as outras tipo “Nossa, nós somos tão sortudas.”

Os feeds do Instagram delas são como as linhas de viagem vermelhas no Indiana Jones, posicionadas geograficamente essas jovens mulheres em eventos fabulosos em todos os cantos do mundo, de premieres de filmes em Nova York à suites de hotel em Londres e infinitas piscinas em LA. Em toda localização, as marcas que elas trabalham são famosas, são tendência e arbitragem de paladares.

De acordo com posts recentes, Baldwin trabalhou com a Guess, Carolina Herrera e um serviço de entrega chamado Postmates (este ultimo ilustrado com uma de muitas fotos dela em um biquini), mas estamos aqui por causa de uma linha de jeans que ela está fazendo para H&M. O sutiã de esporte que ela está vestindo é de uma loja na principal rua de compras, e ela já perguntou se ela pode levá-lo com ela. Como se alguém tentasse detê-lá.

“Eu tenho usado H&M desde que eu era criança,” diz ela. “Eu gosto das suas coisas de treino, e eu gosto muito dos seus moletons; eles são super confortáveis.”

No set, Baldwin tem toda a confiança e eficiência de uma modelo que tem feito isso por décadas. Na verdade, tem apenas três anos desde que ela assinou pela primeira vez. Ela conhece seus ângulos, qual pose representa melhor o que ela está vestindo. Isto é o que vem de idade é como quando as lentes são ubíquos e uma extensão de si mesmo.

Quando eu conheci ela a primeira vez, ela estava instruindo o cabeleireiro, e recém tinha tirado as tranças porque não estavam dando certo.

“Você apenas sabe que fica horrível em certos ângulos” ela me diz “Eu prefiro meu lado esquerdo. Eu odeio que tirem fotos de perto – Eu não tenho mais nada que possa ser feito com o meu rosto”

Este rosto já foi submetido a vários análises – se ela parece como o pai (absolutamente, por volta dos olhos e boca); se ela já passou por cirurgias (ela diz que não), mas também se ela é a pessoa ideal em modelar, e até mesmo se ela é bonita (ela é linda, mas de uma maneira versátil e com seu rosto diferente, que se encaixa perfeitamente para o mundo digital em que ela habita).

Publicitários de moda que trabalharam com Baldwin dizem de uma figura pequena (1,73 de acordo com suas medidas de modelo, mas ela parece muito menor) chegando no backstage coberta com um moletom, seu cabelo mais claro nas pontas e escuro nas raízes, e desencorajados. Mas na passarela, assim como em frente às câmeras, sua confiança, mandíbula cinzelada (definida) e físico de dançarina (ela treinou como uma dançarina de balé) concluem uma serenidade para rivalizar com Linda e Naomi.

“Eu não participo de muitos desfiles porque não sou muito alta. As pessoas não me dão sempre uma chance. É estranho, quando você é mais nova, escutar adultos te dizendo que não gostam de você. Eu costumava me perguntar porque esses adultos estavam pegando tão pesado em uma garota de 17 anos.”

“Tem um verso na Bíblia que minha mãe sempre me fazia repetir” ela me conta” ‘Com a força que Cristo me dá, posso enfrentar qualquer situação.’ Quando eu fazia uma performance, eu ficava muito nervosa, então eu dizia isso quando estava pronta para agir [antes de entrar]. Eu ainda digo isso na minha cabeça antes de desfilar.”

Entre as selfies, pores-do-sol, capas de revistas e posts patrocinados, o seu feed no Instagram é cheio de posts bem similares. Ela foi criada como uma Cristã por sua mãe brasileira, uma designer gráfica chamada Kennya Deodato, e seu pai, que se tornou um fundamentalista renascido depois de 11 de Setembro. Quando ela está na casa da família no estado de Nova York, Baldwin ainda comparece a um grupo local de estudantes da Bíblia.

“Não é o tipo de passar a mão na cabeça, você desmaia, coisa estranha do tipo” ela esclarece “Eu acredito em oração e libertação de uma forma bem intensa. Eu não acho que o demônio existe em pessoa, mas eu acho que as pessoas podem se tornar possuídas pelo demônio”

Eu não estou supresa, tendo em vista que seu pai viu o demônio enquanto estava dentro da casa Celebrity Big Brother em 2010 (Satã assumiu a forma de Dane Bowers?), mas eu pergunto o quanto bandwidth (largura de banda) Hailey compartilha com ele. Sr. Baldwin uma vez comparou o casamento gay a uma mulher casando com um cachorro, e é fervorosamente contra o aborto. Ele apoiou John McCain acima de Obama em 2008 e ameaçou se mudar para o Canadá caso ele ganhasse – como Paul Daniels e Ken Barlow antes dele – ele nunca foi bom nisso.

Apesar de que seu irmão Alec se tornou o rosto satírico do novo presidente da America, Stephen apoiou Trump, e no último mês revelou planos de lançar um canal republicano no Youtube para opor-se a o que ele vê como um desequilíbrio de voz liberais de jovens online.

Sua filha é um deles – seu feed inclui uma imagem dos Obamas com a legenda “Obrigada”, e da Women’s March em Washington, com a legenda “esse é o NOSSO país”. O quão saudável foi o debate na casa de Baldwin sobre a eleição do ano passado?

“Nós não nos vimos olho a olho” ela diz “Foi um grande problema para mim, mas meu pai ainda é meu pai. Eu nunca deixaria a política interferir na família. Mas já passou, e a opinião dele mudou sobre como as coisas vem se desdobrando. Todo os dias, as notícias me enlouquecem. É assustador”

Ela não estava no protesto mês passado, mas ambas as Hadids estavam “Eu acordei muito doente naquela manhã, mas eu apoiei todo mundo que estava lá” ela continua. “Eu não acho que vou mudar minha escolha- o que eu faço com o meu corpo tem que depender de mim, não ao presidente. Eu não acredito em levar o nosso país a um retrocesso. A proibição dos muçulmanos foi repugnante.”

Ao contrário do pai, que era viciado em drogas e álcool em sua juventude e tem ficado sóbrio por quase metade da vida (ele desistiu antes do nascimento de suas filhas), Hailey Baldwin parece consciente e com a vida tranquila, apesar de sua posição no meio de uma boa multidão.

Na verdade, ela os vê como um grupo bastante moderado. Ela é uma dessas pessoas jovens que você lê que se importa mais com auto-aperfeiçoamento do que com beber compulsivamente. Ela recentemente leu livros titulados como “How to Set Healthy Boundaries” e “Becoming a Woman of Prayer”. Ela é até mesmo conhecida como “mãe” para seus amigos por sua maleta ser cheia de remédios herbais. Não, não esse tipo de herbal: esse lote é muito mais secreto do que Lindsay Lohan, a menos que sejam muito bons em esconde-lo.

Baldwin está no processo de crescer com pais felizes e casados além do centro das atenções – ela foi “mantida longe dos holofotes” até seus 17 anos, ela diz. Em vez disso, ela e sua irmã mais velha tinham “uma cerca branca de estacas, um quintal, um cão” numa cidade pequena chamada Nyack, estado de Nova York, e ela foi a escola de balé até seus 16-17 anos, quando uma lesão arruinou sua carreira de dançarina.

“Eu não fui a escola, então eu nunca fui a festas, ou a faculdade – onde você enche a cara” ela diz “Eu não senti a necessidade de beber – eu ainda não posso nos Estados Unidos. Eu e meus amigos temos um tipo normal de diversão que ninguém de nossa idade teria, mas a maior parte do tempo eu estou tipo “Eu tenho que ir para casa, eu tenho trabalho amanhã”.

Sua ética de trabalho é sem duvidas impressionante – se isso tem ou não a ver com seu pai se declarando falido em 2010 e então pedir por doações publicamente para voltar as condições normais, ela não diz. Ao lado de modelar, ela filmou uma aparição no Ocean’s 8, e está ansiosa para começar a atuar. Por ela ter acompanhado seu pai nos sets quando criança, agora ela se sente em casa lá.

A parte importante de sua marca, no entanto, são as redes sociais – por isso que é interessante o fato de que ela se afastou disso por um mês no ano passado.

“Eu precisava de espaço” ela diz “Ás vezes eu sinto que é demais. Se eu pudesse ficar afastada por mais tempo, eu ficaria, mas eu tinha que continuar postando coisas para trabalho. Do momento em que eu me afastei até o dia em que eu retornei, eu estava livre”

Ela não faz exatamente a realeza do Instagram parecer só como as fotos do Instagram de festas exclusivas e piscinas turquesas que meros mortais com seus seguidores nas casas das dezenas ou centenas sonham.

Baldwin me conta que ela é uma grande fã da série do Netflix, Black Mirror, e eu sou lembrada de um dos episódios que lida com o futuro no qual todos são taxados de acordo com a popularidade, e tratado de acordo no trabalho, nas lojas e nos círculos sociais.

“Isso definitivamente mexe com você” ela concorda “Tem momentos em que eu me sinto depressiva ou ansiosa e uma grande parte disso vem dai. Se não tivéssemos redes sociais, nós teríamos um peso tirado dos nos nossos ombros. Eu tento fazer o meu Instagram mais para trabalho.”

“Eu nunca mostrei meus mamilos. Eu nunca irei querer uma foto dos meus seios ao lado de um verso da Bíblia, mas meu trabalho é meu trabalho. Tem vezes em que eu posto coisas e eu fico tipo “Por favor, não pense que isto sou eu. É o meu trabalho”.

Isso faz o relacionamento de Baldwin com marcas que pagam para ela integrar seus produtos em sua grande habilidade fotogênica, que atualmente parecem muito menos “orgânicas” do que o final objetivo do marketing digital. Mas todo mundo que já se encontrou procurando coisas nas bobagens de seus comentários, logo abaixo das postagens, assim como ela, vai entender por quê ela quer manter as coisas para si mesma.

“Isso afeta você. As pessoas me dizem que eu sou feia, que eu sou gorda. Eu tento não me importar mas a verdade é que, todo mundo quer ver o que as pessoas estão dizendo sobre eles mesmos. Quem dizer que não pesquisa sobre si é um mentiroso.”

Quando Baldwin foi vista com Justin Bieber, o abuso de ciúmes dos fãs chocou ela – tanto que ela se recusa a falar sobre ele.

Durante um momento na entrevista, seu telefone, nunca longe de suas mãos, acende com uma mensagem “Me desculpe, eu acabei de receber uma mensagem louca!” ela exclama, mas então se cala com minha pergunta, antes mesmo que eu tivesse perguntado.

“Eu não estou namorando, não estou no Tinder. Em dez anos, quando estiver casada, eu não quero pensar quando fui jovem e senti que perdi meu tempo tentando fazer as coisas funcionarem com alguém. Eu tento não pensar muito a frente.”

Para agora, ela está pensando em opções para o sushi mais tarde com Gigi e Bella, planos que não parecem muito sem nexo pela velocidade que ela realizou a entrevista e a sessão de fotos. (“Ela nem sequer foi ao banheiro” diz uma pessoa da equipe mais tarde)

Enquanto nós estavamos conversando, a selfie que ela postou mais cedo alcançou mais de 100.00 curtidas. Eu suponho que eu tinha ficado tão conectada no meu celular também, devido às circunstâncias.

“Eu não estou sempre no meu melhor humor para as sessões de fotos” ela diz “Eu já tive momentos em que já fui desagradável, e este é o meu mau”

Eu tenho essa impressão de que isso é o mais perto que Baldwin vai chegar de se desculpar.

Tradução & Adaptação por Portal Baldwin Brasil