⁠⁠⁠⁠⁠Em uma vibe completamente sensual, Hailey está estampando a nova capa de Junho 2017 da Maxim Magazine em uma edição especial que contém a lista das mulheres mais sexy do mundo, segundo a própria revista, e Baldwin ganhou o primeiro lugar. Fotografada pelas lentes de Gilles Bensimon, a modelo de 20 anos aparece na capa usando uma blusa transparente preta, meias com detalhes de renda e um par de botas coxa-alta, ambas pretas também. Em um encontro no Arlo Hotel em Soho, a loira deu uma breve entrevista falando sobre sua estreia nos holofotes, relacionamento e religião. Confira fotos e a entrevista completa abaixo:

Maxim Magazine – Junho

hailey-baldwin-hot-100-2.jpghailey-baldwin-hot-100-3.jpghailey-baldwin-hot-100-1.jpghailey-baldwin-hot-100-4.jpg

Com sua conta lustruosa no Instagram com quase 10 milhões de seguidores— pense em
selfies com lábios carnudos vermelhos e fotos estratégicas de shots de biquini—é uma ótima surpresa ver Hailey Baldwin sem maquiagem, com o cabelo alisado para trás e molhado, quando a modelo em crescimento e atriz se encontra com Maxim para conversar sobre seu aterrisamento no cobiçado número na Hot 100.

“Eu sei, é muito desagradável,” brinca a garota de 20 anos com o último sobrenome famoso. (Ela é filha de Stephen e sobrinha de Alec, só para saberem.) “Eu vim direto do banho.”
Mas desagradável não é a palavra certa. Mesmo que Baldwin esteja escondendo suas curvas em uma roupa de treino grande durante o encontro no Arlo Hotel em Soho, a primeira palavra que vem a minha mente ao conhecê-la é bebê.

Esse é o tipo de impressão que você faz quando tem cabelo loiro e fino, grandes olhos marrons, e esses lábios macios. Mas apenas ser bonita não é o único requerimento para conseguir a lendária Hot 100 da Maxim: Você também tem que ser foda. E Baldwin é. Ela é uma provocadora no melhor sentido, excitando o público com seu relacionamento com Justin Bieber e rebatendo fofocas com comentários do tipo “Sim, Eu estou grávida e @KendallJenner é a mãe do bebê.”
Venha pensar nisso, a atitude de Baldwin deve ser sua maior habilidade. Quando ela diz, “No final do dia, eu não preciso da aprovação das pessoas,” você acredita nela. Isso quer dizer, muitas pessoas aprovam. De fato, o ano passado tem visto Baldwin, que começou a modelar com 17, ultrapassar seu último nome, fazendo sua própria marca no mundo da moda enquanto embeleza as páginas da Vogue, Elle, e V.

Agora, a estrela que está crescendo, está se preparando para uma transição para a televisão como anfitriã da série de comédia de James Corden, Drop the Mic, que coloca celebridades contra outras em batalhas de rap (isso será lançado na TBS nesse outono). Para Baldwin, seguir os passos de sua família foi natural.

“Eu, honestamente, sempre senti como se fosse meio inevitável para mim,” ela diz. “Eu sempre fui o entretenimento para minha família. Todo mundo dizia, ‘Essa é uma que você terá que ficar de olho.”

Diferente de suas amigas celebridades (Jenner, Bella Hadid, e Willow Smith, para nomear algumas), Baldwin, foi resistente aos holofotes, não foi amarrada a isso, o que faz ela parecer… bem, normal. Ela cresceu há 30 minutos para o interior de Manhattan, e foi criada como uma nascida de novo no Cristianismo, o que é uma fonte de fundamentos para ela até hoje. “Eu sou um pouco espiritual; Eu vou à Igreja,” ela diz enquanto pega uvas passas do seu pudim de sementes de chia. “Noite passada, eu estava na casa do meu pastor com sua mulher e filhos tendo um jantar em família e jogando Bananagrams e jogos de tabuleiro.”

Isso para não dizer que Baldwin não é parcialmente de Hollywood. Considerando os rumores sobre suas chamas românticas, incluindo Drake e o Los Angeles Laker Jordan Clarkson. “Isso é definitivamente mais fácil,” ela fala sobre relacionamentos de celebridades. “Você nunca está preocupada, ‘Eles apenas estão comigo porque querem atenção ou serem vistos?’ Isso pode ser estranho para alguém que nunca esteve nesse mundo ser colocado dentro disso”. Mas quando pergunto sobre seu status atual de relacionamento, ela apenas sorri estranhamente e diz, “Namorar é estranho, mas é tão divertido.”