Hailey Baldwin foi anunciada como capa de Outubro da revista S Moda Espanha, fotografada pelas lentes do Henrique Gendre, assim sendo sua segunda capa no mês. Além do photoshoot lindo em um fundo totalmente branco e liso, a modelo concedeu uma entrevista no estúdio Milk, em Nova York, onde ela conversou sobre redes sociais, sua infância e religião. Confira a entrevista completa abaixo:

Ela tem medo de que ela possa ser reconhecida, e talvez ela já tenha feito isso porque ela espia e examina a rua do parque, ao redor dos estúdios de Milk em Nova York, e Hailey Baldwin, rosto do 212 VIP da Carolina Herrera, educadamente nos pede para abaixar as persianas. Ainda assim, consegue passar despercebida … às vezes. “O assédio, às vezes, é incômodo. Mas meus amigos têm dez vezes mais dificuldades do que eu, constantemente esmagando-os pedindo fotos,” confessa a influenciadora digital, it girl, e modelo de 20 anos. Seu grupo, o Taylor Swift squad, apelido da mídia para o círculo de amigos da sobrinha do ator Alec Baldwin, que inclui Kendall Jenner, Gigi e Bella Hadid, revitalizou o sistema de fama. Para a geração Z, desencadeou atualmente o equivalente da beatlemania. Com milhões de fãs (Baldwin com mais de 10,5 seguidores no Instagram), atraíram marcas. O trabalho das novas estrelas: patrocinam-se online. “Assim são as coisas. Não há nada que eles possam fazer,” ela diz quando perguntamos o que ela pensa sobre quem desaprova a nova ordem.

Ela passou uma temporada sem Instagram. “Eu exclui minha conta no final de 2016. Passei muito tempo sem usá-lo. Mas não foi muito possível por causa do meu trabalho”.

Ela não quer ser chamada de Instagirl … “Não, porque o que eu posto é real. As Instagirls são personagens e organizam sua vida nas redes sociais. É muito triste”.

Suas contas também levam à decepção: muitos acreditam que passa sua vida de uma festa para outra. “É curioso! Porque eu sou muito caseira: gosto de assistir séries e colocar máscaras faciais”.

Você costumava dizer que sua infância foi muito normal? A que se refere? “Meus pais ainda estão juntos e minha irmã e eu fomos criadas aos arredores de Nova Jersey. É por isso que somos tão normais”.

Como é viajar muito? “É difícil. Sinto falta da minha família. É uma parte muito importante da minha vida, eu não conseguiria fazer o que eu faço se eles não estivessem lá”.

Tens muitas tatuagens. Qual é a sua favorita? “Tenho 17, todas muito pequenas. A minha favorita é uma cruz”.

Qual é a razão pela qual você escreve citações da Bíblia na internet? “Os jovens devem saber que não precisam se sentir desconfortáveis falando sobre religião. Eu não me sinto estranha. Foi assim que fui criada. Não deve ser um problema falar sobre suas crenças. As pessoas da minha idade não devem se envergonhar de fazê-lo, não deixa de ser cool quando é espiritual”.

Colaborou no desenho de uma coleção de sapatos. Eu entendo que eles são seus acessórios fetiche. Por quê? “É difícil responder … Nós meninas gostamos porque sim. Alguns me machucam e eu simplesmente não consigo suportar isso!”

Em uma entrevista recente, ela terminou falando sobre seu jeito infantil de vestir, a que ela estava se referindo? “Meu estilo sempre foi um pouco desleixado, com roupas largas. Agora também pretendo os entalhes. Eu gosto do look de Rihanna: favorece o solto, mas também os vestidos. De qualquer maneira, sou difícil. Eu acho difícil encontrar a peça perfeita; sempre mudo algo! E para o trabalho eu tenho que carregar coisas que não gostamos tanto. Eu me esforço para que meus seguidores entendam que esse não é eu, que essa não é minha personalidade.”

 S MODA – OUTUBRO

s-moda-2.jpgs-moda-3.jpgs-moda-5.jpgs-moda-6.jpg