Portal Baldwin – Sua melhor fonte sobre Hailey Baldwin no Brasil » Arquivo » Hailey Baldwin é capa da Sunday Times Style e abre seu coração em entrevista
Hailey Baldwin é capa da Sunday Times Style e abre seu coração em entrevista
27.05.2018

Hailey Baldwin abriu seu coração – a modelo, capa da edição do dia 27 de maio da revista britânica Sunday Times Style, se sentou com Rory Payne, que também foi quem fotografou a loira em roupas da grife Fendi e com o famoso cabelo rosa, durante o Festival de Cannes e falou de tudo um pouco. Hailey revelou pela primeira vez sofrer com Transtorno de Déficit de Atenção, ou TDA, falou sobre suas amigas, religião e ainda o fato de seu pai, Stephen, e seu tio, Alec, não se falarem desde a última eleição; ela também falou sobre o amigo, Shawn Mendes, que foi seu acompanhante no Met Gala e ainda explicou sobre sua relação com o cantor Justin Bieber. Estilizada por Verity Parker, a revista já pode ser adquirida nas bancas! Confira:

PHOTOSHOOTS > 2018 > SUNDAY TIMES STYLE – MAY

Eu tinha minhas dúvidas sobre Hailey Baldwin. Na corrida para encontra-la, eu lia todas as entrevistas e vi todos os programas de bate papo, ainda sim não tinha uma ideia real e precisa sobre o que a supermodelo de 21 anos, filha do Stephen, sobrinha do Alec e BFF da Bella, Kendall, Kylie e Gigi, era. Ela é apenas outra — suspiro — celebridade do Instagram de família famosa? Uma geração Z com mais selfies que substância? Suas contas das redes sociais certamente me levaram a pensar que sim: uma luxuosa galeria de capas de revistas, campanhas de moda, biquinho, sinais de paz e red carpets. Eu certamente não pensei que Baldwin iria revelar que ela sofre de déficit de atenção e ser uma “total nerd”, que lê jornais de medicina. “Em uma vida diferente, eu provavelmente amaria ser doutora,” ela diz. “Eu estou lendo um livro agora chamado Mindsight. É sobre meditação, encontrar jeitos para reduzir a ansiedade e depressão, a importância da interação humana e mapa mental. É realmente interessante. Eu disse, total nerd.”

Nós nos conhecemos nos três dias do Festival de Cannes. A entrevista combinada para ter lugar no hotel da Baldwin em Nice, mas, tendo voado um dia antes, ela decidiu no último minuto ficar com sua amiga Kendall Jenner, na suite da Jenner no Hotel du Cap-Eden-Roc. Modelar pode ser um negócio solitário, “e nós gostamos de sair juntas sempre que podemos” Então, aqui estamos em um restaurante com vista para Riviera. Baldwin pede “dois cafés expressos gelados”, e deixa seu celular para baixo na mesa, onde permanece, sem tocar, pelos próximos 50 minutos. Ela estava vestindo Balenciaga Triple S e um macacão floral Off-White desenhado por outro amigo, Virgil Abloh. Sua voz parece da Kim Kardashian, com sotaque suave de a Valley-girl. Ela diz “slay” seguido (tradução: “Eu amo isso”), mas também gosta de tirar sarro de si mesma (“Eu vou bastante para Miami. Eu vou apenas sair e ver meus amigos lá. Eu digo, pobrezinha de mim, certo?”)

Criada no estado de New York, Baldwin teve um surpreendente privilégio por trás, cresceu no set com seu pai, entre restrições de estudos em casa, estudo de ballet e bíblia. “Eu odiava a escola. Eu apenas gostava de saúde e ciência. Eu tive dificuldades para focar. Eu tive um déficit de atenção muito ruim e eu acho que ainda tenho,” ela diz. É algo que ela ainda não falou publicamente antes. “Eu preciso estar ocupada. Eu respondo bem tendo uma agenda. Como uma criança que estava em todos os lugares e saltando as paredes, fazer ballet por 12 anos me ensinou a ser disciplinada, e meu trabalho agora me força ser disciplinada. Você precisa manter isso ou falha.”
Assim como modelar (ela assinou com a IMG, a agência das Hadids, desfilou para Sonia Rykiel e Tommy Hilfiger e muitos outros, e é o resto da coleção da Fendi Pop Tour T-shirt), ela também quer seguir seu pai atuando e recentemente filmou um pedaço no filme que vai ser lançado em breve Ocean’s 8. “Eu amaria ser uma garota Bond,” ela diz. “Ou uma Charlie’s Angel. Slay!”
Stephen, o Baldwin mais novo depois do Alec, Daniel e Billy, é um ator e foi uma criança rebelde nos anos 90. Também teve um período não famoso na casa do British Celebrity Big Brother em 2010, quando ele lia passagens bíblicas para seus colegas. Ele se tornou um Cristão renascito, e sua esposa, Kennya, e suas filhas (Hailey tem uma irmã, Alaia, de 25) são muito religiosos ”Eu tenho sérias morais que estão em mim por conta da forma que fui criada”. Baldwin diz. ”Tem algumas coisas que nunca irão deixar a minha estrututra. Vai ser a forma que vou educar minhas crianças, é assim que eu sou. Eu nunca irei posar nua. Peitos para fora não é a minha praia”. Ela foi fotografada na Hillsong, um grupo de igreja formado na Austrália que já é internacionalmente famoso e é formado por seguidores de elite (Justin Bieber, Selena Gomez, Kourtney Kardashian, e já teve rumores de Kendall e Kylie Jenner serem seguidoras também) ”Mas eu acho que o que eles fizeram, em uma boa forma, faz a igreja mais acessível. Pessoas pensam que a religião é uma coisa assustadora se eles não sabem do que se trata. Mas no fim do dia, a igreja é como um prédio: minhas crenças pessoas são o que importa.” Baldwin diz que sua guia moral é relaxada em comparação a de seus pais. ”Eu definitivamente não sou um exemplo para o povo Cristão”, ela ri. ”Tem várias coisas que a Bíblia diz que você não pode fazer. Quer dizer, você não pode beber, você não pode ter sexo antes do casamento…” Ela diz, sorrindo, e adiciona rapidamente. ”Mas eu poderia estar fazendo coisas piores com o acesso que eu tenho.”
A gangue famosa de Baldwin são as estrelas mais disputadas do momento, e todas de famílias famosas. Baldwin dá os créditos pras artimanhas de seus pais por induzir sua geração a uma imagem limpíssima, “Nós ainda temos nossas versões dessas festas loucas e exclusivas, onde as pessoas estão usando drogas no banheiro, mas por conta de termos pais que fizeram isso antes de nós e nos avisam sobre esse estilo de vida, nós ficamos longe disso. Nós somos boas garotas. Nós nos importamos sobre fazer a coisa certa. Nós nos importamos com nossos corpos e a nossa aparência. Nós não estamos interessada nessa parte obscura do mundo.” Também, tem, é claro, a responsabilidade de ter 13 milhões de seguidores no Instagram e seguidores no Twitter, um grande numero onde vai ser a mesma idade de Baldwin ou talvez mais nova. ”Responsabilidade é exatamente o direito do mundo”. Ela diz ”Se você quer ter longevidade (nessa indústria), há uma maneira de representar)”
Nós nos conhecemos alguns dias depois do Met Gala em Nova Iorque, onde Baldwin, com um vestido azul claro da Tommy Hillfiger, de mãos dadas com Shawn Mendes, 19, no tapete vermelho, deixando assim, a metade adolescente da internet em colapso. Pesquise o nome deles no Google e mais de três milhões de resultados irão aparecer. “Nós saímos e ele é super adorável, e um ótimo jovem cavalheiro”, ela sorri timidamente. “Mas eu estou solteira.” Ela quer se casar e ter filhos nos próximos dez anos, ou até mesmo em cinco. “Pessoas disponíveis pra namorar são poucas,” ela diz. “É raro achar alguém que tem as mesmas ideias e costumes que eu. Eu já encontrei pessoas assim antes, o que é revigorante.”

Eu perguntei se uma dessas pessoas era Justin Bieber. Os dois fotografaram um beijo em 2015, o que nunca definiram. “Justin e eu fomos amigos por muito tempo.” ela acena com a cabeça. “Eu conheci ele quando eu era muito nova, e ele era um dos meus melhores amigos. Todo mundo sabe que em um certo ponto, isso se tornou algo a mais, mas isso só acontece quando você tem 18, 19 anos. E era o que era. Nós passamos por um longo período em que nós deixamos de ser amigos. Nós não nos falamos por um tempo e um monte de coisas estranhas, que passaram. Nós deixamos isso pra trás.” A situação, ela disse que era “estranha. Eu nunca tinha passado por [uma relação de tamanha importância] como essa. Mas isso serviu pra nos mostrar que nos damos muito melhor como amigos. Ele é alguém que eu realmente aprecio. Agora é uma situação realmente madura. É bom.”
Baldwin procura ambos amigos da indústria e fora da indústria e família para conselhos. Ela conversa com seus pais todos os dias e é próxima de todos os primos. “Nossa família pode não se falar por seis meses e quando todos se juntam é como se não tivesse passado nenhum tempo,” ela diz. Apesar disso, em Abril de 2017, Stephen afirmou que não tinha falado com Alec “desde as eleições”. Stephen é apoiador do Trump, enquanto a carreira do Alec é agora definida por zombar o retrato do presidente nos esboços do Saturday Night Live. “Isso foi uma situação bem dolorida para mim,” Baldwin diz. “Eu amo meu pai, ele é um pai incrível, mas nós discordamos fortemente [na eleição]. Ele e minha irmão discordam fortemente nisso. O marido da minha irmã, tipo todo mundo fica desse lado, não concordamos com ele. Nós não conversamos sobre isso agora. Não vale o argumento.” Para esclarecer, ela votou na Hillary? “Claro,” Baldwin responde rapidamente. “Tudo que está acontecendo no mundo é tão louco, mas se alguma positividade está saindo disso, é ensinar os jovens para levantar e falar. Nós somos a próxima geração que tem acesso e poder e temos um longo caminho. Eu tento encontrar jeitos para estar mais envolvida com o pessoal da minha idade e fazer mudanças para coisas que importam. É nisso que sou apaixonada.”

Baldwin é charmosa: refrescantemente honesta e doce. Quando o ditafone está desligado, ela me abraça. Um momento pequeno da geração-Z, de qualquer forma, chega brevemente ao final. Eu a pergunto qual websites ela checa todos dias. Uma pausa. “Tipo, aplicativos?” Onde você vê suas notícias? “Oh, eu tinha notificações da CNN no meu celular, então eu sempre sei o que está acontecendo.” A nova jangada das celebridades pode não ser velha o suficiente para saber o que um website é, mas eles ainda querem mudar o mundo. E Hailey Baldwin está logo ali com eles.