Como contamos anteriormente, Hailey Bieber esteve em Berlim na Alemanha para um vento de honra dos 50 anos da marca Calvin Klein. A loira passou pelas salas da caverna da Musikbrauerei para a celebração, e não era apenas para exibir o seu look monocromático da CK50. Para comemorar a noite ela dançou e ainda concedeu entrevistas, assim como a que verão a seguir para a revista LOVE, na qual compartilhou sua afinidade com a dança e sua liberdade de movimento. Confira a entrevista traduzida na íntegra:

LOVE: Quando você começou a dançar?
HB: Eu comecei a dançar quando eu tinha 5 anos. Era minha vida toda. Eu treinei no balé com por doze anos e parei quando eu tinha 17 anos. Obviamente senti muita falta disso. Quando eu vou assistir balé eu choro porque eu sinto falta de performar, sinto falta de ser parte daquilo. Eu amo a estrutura por trás das dançar e amo a disciplina que vem com o compromisso de fazer isso e apenas ser capaz de me mover, ensaiar e colocar seu sangue, suor e lágrimas em algo. Eu definitivamente olho para trás e sinto falta.

LOVE: Se você fechar seus olhos, o que você sente quando você pensa em seu fim. Como te faz sentir?
HB: A maneira que me sinto quando estou dançando? Tudo depende. Quando eu era dançarina e eu estava aprendendo coreografias e ensaiando, eu me sentia muito forte. Eu acho que ser uma dançarina é uma coisa muito poderosa. Até mesmo agora quando estou apenas brincando e jogando o tempo fora, acho que fico tímida quando estou dançando e as pessoas estão me assistindo e não há coreografia, mas sinto que é realmente libertador e me divirto muito. Eu amo estar em uma festa e dançar.

LOVE: O que te deu confiança para começar a dançar? Quem ou o que aconteceu que fez você pensar “olha, eu posso fazer isso”?
HB: Teve muitas vezes quando eu era mais jovem que eu pensava que queria sair, e fiz isso algumas vezes porque eu pensei “é demais”, “não consigo fazer isso” ou “não sou boa o suficiente”. Mas acho que é sobre se destacar em algo e assistir a si mesma melhorar e estar comprometida em melhorar. A dança é uma habilidade que você desenvolve na medida em que você faz, então quando mais você faz isso, mais você melhora. Eu aperfeiçoava as técnicas e continuava praticando. Eu era muito, muito competitiva. Se eu não entendia algo direito eu estava lá praticando depois da aula ou após o término do ensaio, apenas fazendo tudo e qualquer coisa para seguir em frente.

LOVE: Dançar é tanto sobre perder o controle e estar em controle. Qual desses é para você e por quê?
HB: O que é engraçado no balé é que você é muito controlada. São muitas técnicas, mas você tem que fazer parecer fluido, elegante e bonito, mas exige muito controle. Outras partes da dança é sobre deixar seu corpo perder o controle e deixá-lo fazer o que quer, então acho que são os dois.

LOVE: Qual é a dança que você nunca irá esquecer e por quê?
HB: Eu performei Os Quebra Nozes muitas, e muitas vezes por 8 anos e provavelmente eu ainda poderia fazer a dança da Fada Açucarada- eu lembro daquela de cor. Acho que irei sempre lembrar aquela por causa da música. [Canta a introdução]. Tem aquela coisa de Natal. Eu lembro até hoje e performei quando tinha 15/16 anos.

LOVE: Quem música sempre faz você dançar?
HB: Há tantas. Eu amo Rap. Existem diferentes tipos de dança para músicas diferentes. As músicas de Rap me fazem querer levantar. Eu amo Tame Impala, eles me fazem extravasar, não sei se isso faz sentido, como a vibe e ser livre. Eu poderia encontrar uma maneira de dançar para qualquer coisa.

LOVE: Tame Impala é uma ótima banda.
HB: [Rindo] É um ótimo “e aí” para Tame Impala!

LOVE: Que lugar mais inesperado você já dançou?
HB: Eu filmei algo uma vez para um trabalho, eu tinha que dançar ao redor de um grande prédio, que parecia um prédio do governo que era como uma casa, mas não era. Era tipo um palácio. Não sei se consigo explicar, mas foi legal!

LOVE: Qual é sua primeira memória de todas das dança?
HB: Cara, eu comecei quando eu era tão nova. Definitivamente lembro de quando foi a primeira vez que performei, quando eu tinha 8 anos. Era como uma dança em que estávamos segurando fãs.

Antes mesmo de lançar a coleção Roxy x Sister, que tem como data de lançamento 17 de Julho fotografada por Joe Termini, Hailey Bieber e Kelia Moniz concederam uma uma breve entrevista que conta um pouco mais do sucesso com os trajes de banho para marca Roxy e sua nova coleção. Confira a entrevista completa e traduzida:

Roxy juntou novamente as melhores amigas Hailey Bieber e Kelia Moniz para uma segunda coleção Roxy Sisters. Moniz é uma super surfista profissional, que carrega dois títulos mundiais. Já Hailey é uma modelo, por esse motivo essa nova coleção é uma junção da paixão de cada uma.

“Eu amo essa oportunidade de poder trabalhar com uma das minhas melhores amigas, é sempre tão divertido”, comenta Bieber.
“Essa segunda coleção está cheia de peças maravilhosas, e eu estou tão feliz de ter feito parte do processo criativo junto com a família Roxy”.

A primeira coleção Roxy Sister foi lançada em março, já essa segunda leva, que leva tons de branco, azul e coral deve chegar nas lojas a partir de 17 de julho com preços abaixo de $100. Não há necessidade de possuir uma prancha ou até mesmo saber nadar, para usar essa coleção. São peças mais maduras incluindo blazers, moletons sofisticados com tons mais clássicos.

“A primeira coleção tinha mais tons de rosa, um estilo mais Roxy girl, essa nova coleção tem um estilo mais moderno”– diz Moniz. “Mais maduro”. Nós super podemos imaginar Hailey usando algum maiô ou body, ou usando algum moletom mais largo com alguma bota super chique.

Enquanto as novas peças podem ser incorporados no estilo mais ‘street style’, os maiôs foram criados pensando nos atletas.“Você pode surfar em qualquer um deles e eu realmente queria ter certeza que nós conseguiríamos chegar nesse ponto, porquê mesmo que a Hailey não seja uma atleta, eu sou”. Moniz explica: “Eu queria manter a autenticidade por que nós somos uma marca que pratica surfe. Na minha opinião você consegue surfar facilmente em qualquer peça, e depois arrasar com os looks na praia sem se preocupar com as marcas do bronzeado.” 

Esteja você querendo testar um estilo novo ou querendo surfar com mais estilo. Essa coleção se encaixa em todas as alternativas.

Hailey Bieber está fazendo uma série de entrevistas para divulgar a nova campanha da Levis e falar um pouco mais de seu relacionamento antigo com a marca. A modelo concedeu no começo do mês uma entrevista para a Yahoo Beauty e falou um pouco da campanha em que faz parte e de como ela ama uma boa peça vintage.

“Hailey Bieber está tendo um bom ano. Não apenas a modelo se casou com Justin Bieber, mas ela simplesmente conseguiu uma nova campanha de moda com a Levi’s. Neste mês de maio, o selo da herança americana celebra seu 146º aniversário desde o lançamento de seu clássico jeans 501 em 1873.

Foi um ajuste natural para Hailey e Levis se tornarem parceiros nessa campanha. “Estou usando meus jeans 501 desde que me lembro – roubei meu primeiro par de Levi’s 501 do meu pai”, diz Bieber ao Yahoo Lifestyle. Ela acrescenta: “Eu acho que o 501 é eterno e atemporal – eu imagino que meu estilo pode mudar um pouco ao longo dos anos, mas meu jeans vai continuar o mesmo.”

“Hailey encarna essa autêntica e otimista autoexpressão que sentimos representada pelo amplo apelo do jeans 501”, disse Jennifer Sey, diretora de marketing da marca global Levi Strauss & Co. em um comunicado de imprensa.

O jeans 501 da Levis tem sido uma parte icônica da moda há décadas. Todos, de James Dean a Marilyn Monroe e, mais recentemente, Gigi Hadid e Hailey Bieber, usaram os 501 da Levis. Na verdade, o jeans vintages estilo 501 continuam a ser muito procurados, inclusive pela própria Bieber. “Eu adoro um grande achado vintage… Eu estou sempre procurando por um bom vintage 501 – A loja autorizada de vintages da Levis provavelmente tem alguns dos melhores achados vintage no momento.”

Desde o lançamento dos 501 originais em 1873, o estilo se expandiu em uma infinidade de looks que Bieber adota. “Eu amo todos os ajustes de 501 – Skinny, Vintage Autorizado e Original 501… toda a família!” ela diz. “Eu também adoro o casaco de caminhoneiro da Levis. Eu poderia usar um smoking canadense inteiro da Levis!”

Hailey Bieber é o rosto da nova campanha de Levis. Para a divulgação da mesma a modelo concedeu uma entrevista no evento da marca em Los Angeles para a Vogue Britanica que publicou uma matéria a respeito.

“Hailey Bieber já está pensando em seus futuros filhos. Em uma noite chuvosa de sábado, a modelo recém-casada compareceu em uma singular mansão de West Hollywood – literalmente, Levi’s tem uma casinha bonitinha convertida em um showroom – para falar sobre ser o primeiro rosto do jeans 501 da Levi’s. Ela estava lá celebrando o designer Heron Preston, que criou dois pares de edição limitada de jeans, modelos que Hailey usa na campanha. Mais tarde na mesma noite, Jaden Smith se apresentou na festa.

Com uma camiseta branca, jaqueta preta de motociclista e jeans Levi’s® Original, Bieber compartilhou o porque ela se alinhou com a marca, mas mencionou simultaneamente como seu gosto na moda é algo que ela planeja seguir, mesmo quando ela for mãe.

“Eles são os mais adequados”, diz ela sobre o jeans de Levis. Coincidentemente, seu tio William “Billy” Baldwin foi modelo para Levis nos anos 80. “Eu posso me ver arrasando com eles ainda quando estou empurrando carrinhos de bebês até longe e além”.

E se a jovem de 22 anos precisa de uma inspiração materna chique, ela não precisa ir além de Cindy Crawford, que ela citou como alguém que considera um ícone que usa jeans.

“Ela namorava meu tio”, Bieber compartilhou como um fato divertido. “Não que eu os tenha conhecido nessa fase, mas eu acho engraçado como tudo é realmente um círculo completo. Tipo, a filha dela e eu somos amigas – são todos amigos; é divertido e engraçado ouvir suas histórias de quando eram mais jovens e estavam na indústria trabalhando ao mesmo tempo.”

Em recente entrevista para Glamour, Hailey Bieber abre o coração e responde sobre ‘estilo de vida perfeito’ nas redes sócias, sobre sofrer por ansiedade e muito mais. Confira a tradução em baixo:

Qual é o sua regra número 1 da fundação?
Menos é mais. Mas eu nem preciso considerar isso quando uso o “Complexion Rescue Hydrating Foundation Stick” porque é tão leve e fácil de usar. Se você quiser colocar mais, você pode, e vai dar cobertura. Eu vou entre colocar com meus dedos quando preciso de menos e com
pincel quando preciso de mais.
Qual foi a melhor dica de maquiagem que você já recebeu?
Aprender o lugar exato de colocar o
iluminador— tipo o lugar certo do seu nariz, um pouco no arco do cupido, nos ossos da bochecha, mas não muito abaixo. É tudo sobre ver como a luz aparece. Eu sou uma grande fã de iluminadores. Eu também amo truques como usar o blush nos seus lábios, batom na bochecha, ou gloss nas pálpebras. Isso na verdade faz uma grande diferença.
Qual a regra de maquiagem que você acha besteira?
Algo que eu sei de fato que é besteira é que usar qualquer maquiagem no seu rosto está ótimo. Ou que usar qualquer coisa que você comprou na loja é OK para seu corpo ou pele. Se não é um produto saudável, geralmente é ruim para você.
Complete o espaço. Eu amo minha pele quando…
Eu amo minha pele quando estou bronzeada, e quando eu estive no sol. Eu apenas me certifico de que estou usando protetor solar.
Você viaja constantemente. Qual cidade ou país dá a você a maior inspiração de beleza?
Para ser sincera, há vários estilos diferentes disso para mim. Tipo, quando eu estou fotografando na Europa, ou em
um set em Paris, Londres ou Milão, ou quando eu estou fazendo desfiles, eu tenho muita inspiração em maquiagem. Mas com beleza em geral, eu me sinto mais inspirada quando estou na praia. Eu me sinto muito bonita nesse ambiente.
Você tem 20 dolares e pode vagar livremente em uma farmácia. O que você compra?
Oh meu Deus, eu sou um pesadelo em farmácias. Eu vou comprar literalmente  qualquer coisa… lenços, hidratante labial, Aguaphor. Eu amo Aquaphor. É uma grande coisa para mim. E eu estou sempre comprando chiclete. Eu geralmente gosto do Dentyne Ice. Oh, e rabicós aveludados! Eu acho que isso é o que de fato deixa meu cabelo mais saudável— usar um rabicó aveludado ao invés de elásticos porque não quebra tanto seu cabelo.
Qual o seu modo favorito de tirar um momento para si mesma?
Eu gosto de tirar uma soneca. Honestamente, eu entendo criancinhas quando tiram uma soneca. Eu estou tipo, Oh, eu entendo. Isso ajuda muito e é bom.  Eu também gosto de tirar um momento, ouvir um pouco de música e relaxar. É tão importante, na minha opinião, encontrar esses momentos para si mesma. Especialmente quando você está rodeada de pessoas o tempo todo.
Não apenas no trabalho, mas quando está em um relacionamento também, e você está com outra pessoa o tempo inteiro. Eu acho que é importante para ambas as partes poder estar tipo “Hey, eu preciso de uma hora pra mim mesma.” Para mim, eu realmente gosto de executar recados. Eu gosto de ter que ir ao mercado ou farmácia. É uma estranha terapia para mim — me ajuda a me sentir normal.
Recentemente, você escreveu no Instagram que “todos os dias é uma batalha de confiança.” O que você faz nesses momentos, quando a confiança é difícil para você?
Eu sou uma pessoa muito enraizada no Cristianismo e na fé. E para mim a base da confiança vem através disso. Vem através de Deus e através de quem eu acredito que me criou. Então, você sabe, para cada si mesmo. Eu sei que não é todo mundo que acredita no que eu acredito. Mas deixando isso de lado, eu acho que precisamos alegrar mais nós mesmos.
Como você, pessoalmente, se anima mais?
Eu olho para as pessoas na minha vida. Eu olho para o relacionamento que tenho. Eu olho para, tipo, as coisas que são positivas e tento me lembrar disso. Como, eu amo meus pais. Eu tenho ótimos amigos. Eu tenho um marido incrível. Todo mundo tem coisas ruins em suas vidas — não importa quem você é e o que está acontecendo. Há sempre coisas que irão te incomodar, ou que você luta, que nunca irão embora. E ao invés de focar nessas coisas, eu tento inverter os pensamentos e focar nas outras coisas. Como, eu sei que estou em um bom lugar na minha vida. Minha família me ama. Você precisa inverter o pensamento.
Como você se esforça para fazer essa inversão?
Eu gosto de meditar. Eu li um livro há um ano e meio quando eu estava lutando contra uma ansiedade horrível — muito, muito ruim. Eu não conseguia dormir. Eu estava apenas passando o tempo, e eu li um livro chamado “Mindsight”. Foi escrito por esse doutor chamado Daniel Siegel, e ele ensina esse tipo de meditação. Não é espiritual, não precisa ser religioso. Não é nada religioso, na verdade. É mais como uma meditação do funcionamento do corpo. É tudo sobre saber que você não precisa ser comandado pelos seus pensamentos. Você pode ter controle e inverter seus pensamentos.
Você precisa se fazer perguntas como, ‘Essa é realmente a verdade?’ ou ‘Eu realmente acredito que isso é a verdade absoluta?’ e contra o que você pensa. Eu descobri que você pode resolver várias coisas através da meditação e terapia de auto ajuda. Eu sou muito aberta sobre isso. Eu acredito fortemente em terapia, meditação e fé — acreditar em algo. Essa é sempre a resposta para mim antes de qualquer outra coisa.
Esse é um ótimo conselho.
Eu admiro pessoas vindo e falando sobre [ansiedade]. Nós todos lutamos com isso. Eu acho que teve um estigma ao redor disso por tanto tempo. As pessoas olham para celebridades que são famosas ou com sucesso e acham que elas tem tudo certo. Como, eles tem uma carreira insana, ou que fazem muito dinheiro, que eles devem ser felizes. Mas é realmente meio que o oposto.
Houve um tempo na indústria que era negativo falar sobre esse tipo de coisa. Ninguém queria falar sobre o que estava realmente acontecendo, e todo mundo sentia que havia essa pressão para manter a fachada — ou pressão para continuar esse estilo de vida perfeito e fazer tudo parecer ótimo pelo lado de fora. [Todos diriam] ‘Oh, nós estamos muito felizes. Eu estou muito feliz. Estou ótima’, quando Oh, we’re really happy. I’m really happy. I’m doing fine,” quando na verdade você estava desmoronando por dentro.
E eu acho que eu costumava fazer um
pouco disso também. As pessoas me perguntavam, “Como você está?” e eu estava tipo, “eu estou bem; eu estou ótima”. Mas na realidade eu estaria chorando no meu quarto de hotel a noite toda. Você precisa ser honesta que a vida é uma droga, às vezes. É difícil. As coisas são difíceis. Acho que quanto mais somos abertos sobre isso, mais podemos ajudar as pessoas a acharem soluções.
Tantos homens e mulheres tem seu pico de ansiedade entre 18 e 25 anos, e então você coloca mídia social, pressão do trabalho, pressão da escola no topo disso, você sabe, é difícil.
Seu ponto sobre mídia social é tão verdadeiro, especialmente quando relacionado a imagem própria. Se você pudesse mudar uma coisa sobre percepção de beleza na mídia social, qual seria?
Primeiro de tudo, eu diria a todo mundo que muitas pessoas não aparentam realmente como nas mídias sociais. Porque você verá tantas pessoas e estará tipo, Você é tão bonita, oh meu Deus. Mas, depois, você vai ver pessoalmente, e será tipo, Você ainda é muito linda, apenas não é como você aparenta online. As pessoas estão lá fora sendo enganadas com certeza. É apenas a verdade. Mídia social é tão “Mostre seu melhor, esconda o resto.”
Mas não estou dizendo que é tudo assim. Há tantas pessoas que abraçam sua beleza natural, e não tem medo de mostrarem seus corpos, sardinhas ou olheiras, qualquer coisa que seja. E eu acho que isso é real. Eu acho que é está tudo bem querer ter uma boa aparência. E está tudo bem querer se sentir sexy em uma foto ou postar a foto que você se sente muito bonita nela. Mas também acho que está tudo bem estar tipo, eu não pareço tão bem assim o tempo todo. Tipo, me veja em um mercado — quando meu cabelo está em um coque bagunçado e eu estou usando calça de moletom. Eu não vou estar como eu aparento no meu Instagram, porque esse é o fato.
É legal ver que as celebridades estão agora voltando atrás nessa ideia de parecerem perfeitas o tempo inteiro.
É apenas impossível. Não é possível nem mesmo para o ser humano mais lindo do planeta. Eu queria que mais pessoas jovens entendessem que nos photoshoot, somos nós fazendo nosso trabalho. É como em um filme, não é real — é um set com luz, câmeras e produção. É algo criado. Eu espero que ninguém veja a foto de uma modelo onde elas tem todo esse cabelo e maquiagem, e pense que é assim que elas devem parecer o tempo todo. As pessoas precisam entender o contraste.