Nesta semana Hailey Baldwin compareceu ao desfile da  Zadig & Voltaire durante a New York Fashion Week, e enquanto sentava na primeira fileira junto a passarela para conferir a mais nova coleção da marca Outono/Inverno 2019 a loira concedeu uma breve entrevista para Elle Magazine que conversou sobre superstições, a diferente do nervosismo entre estar assistindo o desfile e sendo a modelo que irá cruzar a passarela e muito mais. Confira a entrevista completa e traduzida abaixo: 

“Eu não sou supersticiosa,” diz Hailey Baldwin Bieber nos bastidores do [desfile] Zadig & Voltaire. Nós estávamos falando sobre os escorregões em desfiles, e ela bateu duas vezes na mesa de madeira na nossa frente, a segunda vez no chão pra dispersar a má sorte. “Eu não acredito nisso. Mas, você sabe,” ela sorri, “Apenas por precaução.”

Claro, a senhora Bieber parece ter a sorte ao lado dela. Ela tem usado seu disciplinado treino de balé e seus antecedentes de Hollywood para ser uma modelo magnata, uma super estrela da internet, e claro, a esposa da super estrela da musica. (Ela se casou legalmente com Justin Bieber no verão passado; uma cerimônia maior vai acontecer logo em breve e envolve um vestido “branco amarelado”).

A senhora Bieber não está no Zadig & Voltaire para procurar traje de casamento, mas ela está de olho nos grampos de rock and roll da marca. “Eu acho que sempre há algo mais rock and roll nas garotas francesas,” diz a garota de 22 anos, e é um tipo de alívio, até ela se apaixona pela moda de Paris. “Dê uma olhada em Zadig, e em Saint Laurent – é mais grunge sem estar sujo. É como um roqueiro chique, mas é tão bem feito, com ótimos cortes e tecidos. Então apesar do elemento grunge estar lá, é mais elegante. É mais chique,” ela ri, fazendo o sinal de aspas com os dedos. “Apesar disso, é casual. Você sabe o que eu quero dizer!”

Eu entendo. Apesar do terno “fácil” que ela usou para o desfile ter sido menos casual e mais pronto pra passarela, ou pelo menos preparado para assistir da primeira fileira. “Eu não assisti a muitos desfiles, pra ser honesta,” ela diz. “Mas eu não me importo com isso. Há menos ansiedade e pressão quando você não está desfilando, mas eu quase fico estressada por terceiros quando estou assistindo um desfile, porque eu vejo as garotas vindo pela passarela e eu sei exatamente como elas estão se sentindo. A menos que você seja um veterano muito, muito, muito experiente, é uma experiência que dá nos nervos. Mas não é a passarela, exatamente. A parte em que você está nos bastidores esperando para desfilar é a parte mais difícil. O exato minuto antes. Você está parada em uma linha atrás de todas aquelas modelos, e você está tipo, esperando para tropeçar e cair. Felizmente,” ela bate na madeira, “isso ainda não aconteceu.”

Eu disse a ela que eu tenho tropeçado muito nos sapatos em minha própria casa. Ela tem esse problema? Há uma Bieber Kondo de limpeza em seu futuro? “Eu não sei,” ela sorri, a expressão dela diz, ‘sem chance disso acontecer’. “Aqui está uma coisa: eu tenho que me livrar de um monte de roupas, por conta do meu trabalho como modelo, e eu sinto que tenho isso sob controle. A coisa que eu nunca poderei me livrar são as bugigangas. Eu sou a pior. Venha pra cá e terá tipo mil cabos eletrônicos saindo de uma lixeira. Eu tenho um milhão de carregadores que tenho certeza que são inúteis, mas eu fico tipo, ‘Não, não se livre deles!’ Porque você nunca sabe.”

Como uma estrela do Instagram e uma mulher americana moderna, a senhora Bieber está justificando o acúmulo de carregadores. Mas ela não usa somente seu celular para atualizar seus 17 milhões de seguidores. (Tem mais pessoas do que os habitantes de Georgia.) Ela também põe pra fora quando eu pergunto para a notória e religiosa celebridade sobre sua passagem [da bíblia] favorita do momento. “É Jeremias 29:11,” ela confirma em um pensamento rápido. “No verso, Deus diz, ‘Porque eu sei que tenho planos para você, planos para esperança e um futuro para você, planos prósperos e não para te fazer mal.’ Eu acho que é algo esperançoso para minha vida agora, que o melhor está por vir.” Bate na madeira.