Finalmente aconteceu, Hailey Bieber é a capa de Abril da Vogue BR e claro que não faltaria a entrevista da modelo falando um pouco sobre o Brasil, filhos, entre outras coisas. CONFIRA:

Não seria exagero meu dizer que Hailey Rhode Baldwin Bieber domina a minha pastinha oculta de referências do Instagram. Dou alguns scrolls e faço uma breve análise para tentar entender o motivo de guardar tantos cliques dela ao longo dos últimos anos. Vejo: cabelo “bron- de” com corte mídi – que um dia quero ter coragem de aderir; rotina de skincare em poucos passos; looks viáveis; viagens incríveis; doce romance. Chego à conclusão que Hailey me encanta tanto porque é uma mulher possível, a tal “girl next door”, que não se esforça para ser cool – apenas é. Essa sensação de acessibilidade, de possibilidade, do pop sem excentridades, tem encantado o mundo. Inclusive o da moda.

A americana de 24 anos, nascida no Arizona e baseada em Los Angeles, está por todos os lados: na novíssima campanha da Versace, na Miu Miu, Calvin Klein, Levi’s, Superga. Impossível não falar de Hailey sem dizer que ela também é o porto seguro de Justin Bieber, um grande amigo que virou marido em 2018, quando se casaram sem pompa e circunstância em um cartório de Nova York.

A festança para 150 convidados (entre eles Kendall e Kylie Jenner, suas grandes amigas) aconteceu na Carolina do Sul, um ano depois. “Não acho que estava pronta para me comprometer tão sério quando o fiz. Mas sabia que já amava Justin profundamente e que ele era a pessoa com quem eu gostaria de passar o resto da minha vida. Só não imaginava que isso aconteceria tão rápido ou tão cedo, mas cá estamos, construindo uma vida linda juntos”, diz. Fazendo as contas, me toquei que o segundo ano de casamento dela foi passado em quarentena – momento tenso para qualquer casal que, de um dia para o outro, se viu 24 horas junto. Para Hailey, não foi problema. “Estávamos recém-casados, então foi uma boa oportunidade para irmos mais fundo e nos conhecermos melhor. Esse tempo fortaleceu nossa relação.” Manter-se sã durante a pandemia não tem sido tarefa fácil para ninguém. “Precisei ser criativa”, confessa. Um dos frutos do exercicio de criatividade de Hailey na quarentena já está no ar.

Mês passado, a modelo lançou seu canal no YouTube, com conteúdos que incluem receita de mac ‘n’cheese (feita no banheiro e na companhia de Kendall!) e a tal rotina de skincare que me encanta. Sem nenhuma mancha ou marca, apenas sardinhas, Hailey obviamente já é o rosto de uma marca de beleza, a Bare Minerals, que preza por um approach mais natural de maquiagem. “Tomo muito cuidado com a minha pele. Aprendi desde cedo, observando minha mãe [a brasileira Kennya Baldwin], que sempre usou produtos naturais, cuidou da alimentação…” A influência brasileira na vida de Hailey, que também é filha do ator Stephen Baldwin, é nítida. No Natal, sua ceia em casa teve farofa, arroz e feijão. “Cresci com minha mãe e avó falando português, cozinhando comidas típicas. Meu avô [o pianista e produtor musical vencedor de um Grammy Eumir Deodato] é um grande músico e isso também me influenciou. Eu e minha irmã [a atriz Alaia Baldwin] crescemos ouvindo João, Astrud e Bebel Gilberto”, diz. Estar com a família mantém seus pés no chão e a cabeça boa. Cuidar da saúde mental, aliás, tem sido uma prioridade.

“Faço terapia, passei a estabelecer limites para os outros e restringi o uso das redes sociais – não faço login de segunda a sexta-feira. Elas são a maior causa da minha ansiedade, dar um tempo me faz feliz e então vejo novas perspectivas”, conta.

Onde ela se về em cinco anos, pergunto finalmente. “Difícil dizer. Sempre tentei ser organizada, mas existe aquele ditado que diz que Deus ri dos nossos planos… Se pudesse visualizar algo para este futuro tão próximo, gostaria de ver algumas crianças no cenário!”,

Fonte: Vogue Brasil.