Todos os posts em Capas

Hailey Bieber é a capa da Vogue França na edição de Maio. Mesmo sabendo que Hailey Bieber já foi o rosto da capa para Vogue Paris essa seria a primeira vez da nossa modelo nessa versão, pois não podemos deixar de enfatizar que a revista francesa passou por uma mudança significativa em meados do ano passado. A Vogue que levava o nome da capital, agora carrega o nome do país, assim como as demais Vogues.

Fotografada por Karim Sadli, Hails com sua beleza posou mais naturalmente com direito a conjuntos “oversized” que causam o impacto no ‘shoot’. A revista que tem como programada para ser lançada no dia 03, já liberou a entrevista e nós temos ela traduzida na íntegra a seguir:

Na Vogue, me ofereceram coisas assim: “Você, que escreveu “Capital da doçura”, pode estar interessada em entrevistar a Hailey Bieber…”. E imediatamente penso: “Uh, qual a conexão?”. Como poderia meu romance “Capital da doçura”, ambientado no sul da França, e todo sobre a possibilidade da não-violência, ser sobre a jovem Hailey Bieber, sobre a qual, aliás, neste momento, não sei quase nada, exceto o que todos (ou quase todos) sabem, ou seja, a beleza estonteante dessa jovem e seus 42 milhões de seguidores no Instagram? E, também, a conexão com Justin Bieber (o marido). O que isso tem a ver com doçura, essa vida californiana no início da fama, o metaverso mais antigo do mundo?

Vários intermediários organizaram esta reunião. Eu em Trouville, Normandia, e Hailey Bieber em Los Angeles, Califórnia. E aqui na França são 19h. É manhã em L.A. Eu me forcei (começou bem, a Capital da Doçura !) a não chegar cedo no link do Zoom. A noite está caindo, do meu lado do planeta. “O anfitrião ainda não entrou na reunião.” Eu resmungo para mim mesma que é assim, as “estrelas”, que vou ter que esperar igual idiota na frente da minha tela, quando Hailey Bieber aparece na clarabóia e a acende, como um pequeno e bem programado poste de luz.

E veja como é estranho: assim que esse jovem aparece na minha frente, eu imediatamente entendo, pela doçura: estou diante de uma criança. A gigantesca popularidade de Hailey Bieber está recuando como um mar que a lua suga. Os 42 milhões de seguidores, o marido com 221 milhões de seguidores, o primeiro nome que o Google sugere assim que você escreve “h” e “a” na busca, tudo isso se materializa em uma mulher muito jovem, em uma poltrona de couro natural desgastada, idêntica àquelas bolsas que uma vez, na idade de Hailey, eu costumava comprar na ‘La Bagagerie’. Nada de maquiagem no meu interlocutor. Um coque apertado faz suas duas orelhas aparecerem o que já me chama atenção. Agora que entendi quem ela é, em dois segundos, alguém aparece ao seu lado, talvez um segurança…

Apresento-me brevemente, ela acena com a cabeça com ar de gostar saber um pouco mais sobre a pessoa que vai lhe perguntar tantas coisas… Advirto que não sei quase nada sobre ela: “Hailey, sei o que todo mundo tem em mente.” Confesso ter “pesquisado um pouco” na internet, aliás abro a entrevista com algo que li, uma frase do tio dele, Alec Baldwin (parece ele, acho). Alec Baldwin acha que sua sobrinha certamente é muito exposta, mas que ela tem maturidade para administrar tamanha notoriedade. Qual é a base da minha primeira pergunta para Hailey: “Quem tem maturidade, aos 25 anos, para ‘gerenciar’ esse tipo de vida, Hailey?”. Sua resposta: “Eu não tenho a menor ideia”. Ela olha para o espaço e posso ver que ela está pensando na pergunta, honestamente. Ela admite que sua vida não é “normal”, a priori, “nem vista de longe nem vista de perto”. Mas ela diz: “Eu vivo assim desde criança e o que meu tio fala faz sentido, já estou acostumada…”. Ela reflete. “Sem dúvidas, ao ver as pessoas pedindo para tirar uma foto com meu pai (o ator, produtor, escritor e diretor americano Stephen Baldwin, nota do autor.), devo ter perguntado um dia: ‘Mas por que o ele quer tirar uma foto com você, pai?’, com certeza meu pai tinha a resposta certa, que minimizava, que tornava normal o anormal. E é por isso que eu não sei sobre isso.”

Agora, estou pensando em algo que li, sobre as amigas dela, todas tão famosas quanto ela, Gigi Hadid, Kylie Jenner… “Ao seu redor, eu encontraria, se estivesse procurando, completos desconhecidos?” “Bem, claro que sim!”. Ela joga pra mim, como se minha pergunta fosse irrelevante. O que eu estava imaginando? Uma bolha com alguém trancado dentro?

Teimosamente, atrevo-me: “E os 42 milhões de seguidores, como você ‘se livra’ deles, às vezes?”. Desta vez, ela cruza as mãos: “Há uma coisa simples, mas não tão fácil de fazer: você tem que soltar o telefone. Minha liberdade começa a partir do momento em que estou com as mãos livres”. Os 42 milhões de almas a seguem como patinhos aonde quer que ela vá: “Não, eles estão no telefone”. Então ela decola, às vezes ela “desaparece no ar”, ela sai para flutuar no oceano, como o príncipe Rainier de Mônaco, que alegou que este é o único descanso real para pessoas famosas. Mas os tempos mudaram, e pergunto se é fácil, ou mesmo possível, livrar-se dos paparazzi na era dos drones. “Surpreendentemente, é possível”.

Essa vida, Hailey Bieber queria. Ela se tornou modelo aos 16 anos, eufórica com a ideia de viajar, de ser financeiramente independente em uma família de artistas que, “embora não fossem pobres, sempre tiveram preocupações financeiras”. Ela adorou a liberdade, a princípio sem perceber que também haviam pontos negativos, e que era um trabalho real. Ela adorava comprar roupas, dizendo “vamos lá!” e ia. Ela trabalha há quase dez anos. Ela tem 25 anos. 25 anos, nossa.

Hoje, o dinheiro está fluindo. “Neste ponto, também foi algo passageiro [aproveitar sem preocupações]. Esse dinheiro que era entretenimento se tornou uma responsabilidade. É fruto do meu trabalho, já penso no fato de que vai ser usado na educação dos meus filhos, e que não se deve brincar com isso. Porque se tem uma coisa que eu vi, é que o dinheiro pode te estragar de uma forma ruim. Por isso também quero me tornar uma empresária, dar um significado diferente ao dinheiro. Estou construindo uma marca de beleza. É tudo concreto, criativo.”

O dinheiro também permite que ela não seja dependente de seu marido de prestígio. Digo a ela que entendi porque ela amava esse jovem [Justin] quando o vi em um vídeo com a Billie Eilish, uma fã dele. Ele foi tão doce. Ele tinha uma doçura capital. Foi no documentário sobre Billie, “The World’s a Little Blurry (2021)”. Justin Bieber estava conversando com Billie Eilish ao telefone, dizendo que ela deveria cuidar de si mesma, e ele estava falando sobre a vulnerabilidade de jovens famosas. Este menininho revelou a alma de um velho sábio.

Hailey fechou os olhos por um momento: “Olha… já falei muito do meu marido. Muitas vezes, depois, tudo é distorcido, tirado do contexto. Eu adoraria que essa entrevista continuasse como começou…”. Isso foi dito com firmeza, mas também com imensa educação. E conheço alguém que insistiria, justamente porque essa comodidade não parece ser um limite atroz. Porque ela é jovem e eu sei como lidar com isso. Mas eu simplesmente acrescento: “Eu só queria dizer que consigo adivinhar porque você gosta desse homem: um dia eu vi a personalidade profunda dele”. Ela sorri.

Está completamente escuro em Trouville. A casa está silenciosa pois todos saíram para jantar, cansados ​​de me esperar. Eu havia avisado: “Vai durar quinze minutos”. Estamos conversando há 45 minutos. Digo a Hailey que, como ela (mas eu com 280 mil seguidores, tanto por nada) participei daqueles vídeos da Vogue onde você tem que comentar sobre street style. Neste vídeo [da Hailey pra Vogue], ela não usa as palavras usuais “tão legal”, “tão fofa”… ela prova sua capacidade de atenção aos outros, e sua inteligência, sua retrospectiva, sua sutileza, seu real interesse pelo que chamam de “o olhar”.

Ela então me diz, então, que ela é apaixonada por este exercício [analisar looks]. Ela leva a sério essas pessoas que se preocupam com sua aparência, porque a maneira como todos tentamos nos tornar interessantes e apresentáveis é louvável. Ela acrescenta: “Um dos comentários deste vídeo (e já percebo que ela lê os comentários) suspeitou que eu não estava sendo honesta, a pessoa considerou impossível eu dizer algo bom sobre looks que não se pareciam com o meu estilo. Ela [a pessoa] garantiu que eu estava fingindo gostar”. Acho que você pode dizer várias coisas sobre Hailey Bieber, mas não isso. Pronto, a entrevista acabou. Meu anfitrião saiu da conversa. No restaurante, meus amigos me perguntaram: “E aí?”.

PHOTOSHOOTS > 2022 > VOGUE FRANCE – MAY

pbbr00003~8.jpgpbbr00005~8.jpgpbbr00004~8.jpgpbbr00001~11.jpg

Fonte: Vogue FR
Categorias: Capas, Entrevistas, Revistas

Em uma manhã de segunda-feira, Venice Beach em Los Angeles está movimentada. O sol está forte e o ar fresco é indulgente, abrindo caminho para o calor que exige óculos escuros e um suéter. Uma garota passa voando em patins, uma mulher está cantando jazz no calçadão, um cara caminha vestindo sua camisa do Kobe Bryant do Lakers, e eu estou esperando Hailey Bieber me encontrar em um café não muito longe de onde a calçada termina e a praia começa.

Ela chega vestida como a Bieber que vimos capturada pelos paparazzis (não são suas pessoas favoritas) em uma jaqueta de couro Balenciaga oversize, uma saia preta e mocassins Prada com meias brancas grossas. Ela sorri, encolhe os ombros timidamente enquanto acena e se senta. Nós nos cumprimentamos com uma leve familiaridade. Eu já sei que ela é alguém com um ponto de vista interessante e simples de nossa conversa inicial no Zoom alguns dias antes.

Nós conversamos sobre nosso amor pelo programa de comédia da HBO, Insecure, e o que achamos sobre o final. “Eu amo Issa Rae”, disse Bieber na época, “e acho que ela é uma escritora incrível. Eu amo o programa desde que comecei assistir. Eu senti que eles nos deram o que eles precisavam dar. Eles nos mostraram onde todos foram parar.” Também conversamos sobre nosso amor por Nova York, mas também sobre o amarmos Los Angeles como a cidade que chamamos de lar. “L.A. é um espaço muito legal de pessoas criativas”, disse ela, “mas … há muitas pessoas sombrias aqui também”.

Bieber é como a garota que você conhece em uma reunião de amigos e se dá bem porque ambas gostam daquele novo restaurante no centro da cidade ou querem experimentar aquela aula de ioga. Vocês trocam contas do Instagram e nunca mais se falam, mas continua acompanhando os stories dela e as postagens de suas roupas e refeições mais recentes. Exceto que Bieber tem cerca de 42 milhões de seguidores no Instagram observando cada movimento dela. Está claro para mim que mesmo que outras pessoas não se identifiquem com ela – você sabe, a supermodelo vista em outdoors ao redor do mundo, cujo rosto está colado na parede em uma campanha da Hugo Boss a poucos quarteirões de onde nos sentamos – Bieber sabe como se relacionar com outras pessoas. E parece ansiar por fazer exatamente isso.

Bieber não se incomoda com a leve comoção da cena de Veneza (e seu segurança não está longe). “O que é bom aqui?” Ela ergue os olhos do menu e me olha com curiosidade. Estamos aqui para terminar de falar sobre sua nova marca de beleza, Rhode, com lançamento previsto para junho, mas o café da manhã deve ser pedido primeiro. Em poucas horas, Bieber voará para San Jose para ver seu marido, Justin, se apresentar na segunda parada de sua turnê Justice. Em poucos dias, ela voará para Paris a trabalho. Quando ela começou a fazer desfiles, parecia uma conquista para uma modelo de 1,70m. Mas então ela percebeu que preferia torcer na primeira fila, como ela faz agora. “Tive uma experiência muito ruim com um diretor de elenco que era muito importante”, lembra ela. “Ele disse algo ao meu agente que abalou minha confiança quando se tratava da passarela. Não quero me sentir mal comigo neste espaço porque me sinto muito bem com os outros trabalhos que faço. Então, por que eu me colocaria em uma posição para me sentir pequena?”

Hailey Rhode Baldwin Bieber é filha do ator Stephen Baldwin e Kennya Baldwin. Ela foi educada em casa nos subúrbios de Nova York, frequentou aulas de dança para jovens na cidade de Nova York e depois se mudou para lá para sua carreira de modelo. Agora, ela é requisitada como um dos rostos mais conhecidos da moda e da cultura pop. Ser uma modelo de 25 anos de cabelos castanhos, mandíbula esculpida e que se encaixa confortavelmente dentro dos padrões de beleza de longa data ajuda. Os blogs enlouqueceram quando ela “estreou” seu cabelo castanho, um crescimento pandêmico de seu loiro tingido anterior. “Eu não pinto mais meu cabelo”, diz ela. “Eu não descoloro nem nada, mas posso fazer um gloss ou um tonalizante.”

Em março de 2021, Bieber iniciou seu canal no YouTube, algo que ela nunca pensou que faria, em um esforço para criar um espaço onde ela se sentisse mais no controle de sua própria narrativa: “Eu entendo que há muito sobre minha vida que as pessoas podem não se identificar e tento não ser ingênua sobre isso.” Entre as coisas que as pessoas nem sempre entendem está sua fé. Ela conversou com outros cristãos, como a comediante Yvonne Orji, sobre como navegar na complicada indústria do entretenimento. Bieber frequentou a Hillsong quando adolescente, mas agora frequenta Churchome, onde Judah e Chelsea Smith são pastores. Aqueles momentos em que alguém diz a ela que, de fato, se relaciona com um de seus vídeos do YouTube, faz com que ela sinta que está no caminho certo. Mesmo que isso signifique uma série de entrevistas em que ela prepara comida em seu banheiro simplesmente porque ama seu banheiro. (Mais de 15 milhões de pessoas a viram fazer macarrão com queijo lá com Kendall Jenner.) Seus vídeos “Get Ready With Me”, alguns filmados em sua sala de glamour em casa, também são muito populares.

Em novembro de 2021, Bieber confirmou naquele canal do YouTube que lançaria sua própria linha de cuidados com a pele, juntando-se a uma legião de celebridades que fizeram o mesmo. “Eu sempre me lembrava da minha mãe, quando criança, me tirando do banho, me encharcando da cabeça aos pés, só hidratação, hidratação, hidratação, muito focada em manter a pele saudável”, diz ela, falando de ser ensaboada com loção por sua mãe. Bieber nasceu no estado seco do Arizona. Sua avó materna era maquiadora, então a beleza era uma lição de gerações. “Tudo começou com minha avó, ela ensinou minha mãe, minha mãe me ensinou.”

Essa autenticidade pode ser a coisa mais legal sobre Bieber. Em meio aos rumores, paparazzis esperando do lado de fora de sua casa, casando-se com alguém exponencialmente mais famoso do que ela, a mídia escrevendo sobre cada camiseta dela (o que resulta no reinício de um novo ciclo de mini-tendência de moda do Instagram), ela encontrou maneiras de realmente ser legal, não apenas parecer legal [descolada]. Ser descolada realmente está nas rotinas, rituais e decisões que funcionam para você: a maneira como agimos, os designers que escolhemos, as marcas de beleza que encontramos e atestamos. É o subproduto desse processo que o público finalmente vê e se apega. Mas o trabalho interno para descobrir sua bússola é muito mais difícil.

Renunciar ao controle sobre o que as outras pessoas pensam estabilizou Bieber até certo ponto e forneceu uma maneira para ela reorientar sua vida. “Seria exaustivo para mim tentar controlar tudo”, diz ela. “Não há como eu fazer isso. É muito difícil controlar uma narrativa da mídia, então tento fazer o meu melhor para ser eu mesma e aceitar isso.”

As pessoas podem ficar boquiabertas com a moda de Bieber, mas ela diz que cuidados com a pele é o que eles perguntam diretamente a ela. Afinal, ela têm sido uma modelo, passando longas horas na cadeira de maquiagem, desde os 17 anos. Ela teve os melhores esteticistas e dermatologistas ao seu alcance para garantir uma pele ótima.

Bieber certamente sabe uma coisa ou duas sobre produtos e procedimentos, mas ainda assim – o que a qualifica, e outras celebridades, para iniciar uma marca de beleza? Sua resposta é agradavelmente discreta: “Acho que a maior coisa para mim é que entendo que há certas coisas que não sei fazer e tento ser realmente aberta sobre isso”. Acontece que saber o que você não sabe, em vez de avançar precipitadamente, é um princípio fundamental do sucesso empresarial.
O influenciador de cuidados com a pele Hyram Yarbro, cuja marca própria foi desenvolvida com a Inkey List, é uma das pessoas que Bieber pediu conselhos depois que ela se tornou fã de seu conteúdo no TikTok. Ela também conversou com a cofundadora e esteticista da Dieux Skin, Charlotte Palermino, conhecida por seus vídeos educativos no TikTok, Kim Kardashian (conhecida por tudo) e a cabeleireira e fundadora de cuidados com os cabelos da Ouai, Jen Atkin. Cada um forneceu informações sobre como eles estabeleceram suas marcas. “E então eu pude dizer: ‘Ok, bem, [Kim] fez dessa maneira. Jen Atkin fez daquela maneira.’ E então, a partir de todas as informações, você começa a encontrar a maneira que funciona para você”, diz Bieber.

Hoje, mais celebridades se viram não apenas sendo os rostos de uma nova marca, mas também se tornando fundadores, CEOs e executivos de beleza em um campo em que muitas vezes não têm experiência. Mas o que eles têm é acesso aos fundos necessários para realizar seu sonho. É quase como se a simples capacidade de fazer isso, ter os recursos e os seguidores nas redes sociais fosse motivação suficiente para começar em uma indústria tão resiliente quanto a beleza global. A pandemia ampliou essa reputação de resiliência – e deixou os consumidores fatigados pelo número de lançamentos de novas marcas. Tudo isso torna mais difícil saber se uma celebridade está lançando uma marca porque “faz sentido” ou porque é uma verdadeira paixão em que ela está sentada.

Existem incubadoras que podem se especializar, até certo ponto, na formação de marcas de beleza impulsionadas por rostos públicos. A força da celebridade, seus seguidores estabelecidos, é o que essas empresas estão apostando. Bieber construiu uma audiência de milhões em todas as plataformas de mídia social. Como modelo para algumas das marcas mais badaladas da atualidade, ela já é especialista em transformar seguidores em consumidores em potencial.

“Conversei com diferentes empresas de investimento”, diz Bieber. “Conversei com diferentes equipes de incubação de marcas e, no final, percebi que emprestei meu nome e meu rosto a muitas pessoas diferentes e muitas marcas diferentes.” Então ela decidiu seguir a rota de start-up, compilando sua própria equipe com base no insight que ela havia adquirido. Rhode é financiado por um pequeno grupo de investidores, incluindo o One Luxury Group.

“Acho que, como equipe, estamos entrando nisso sabendo que as pessoas estão cansadas de ver marca após marca de diferentes pessoas, rostos e celebridades”, diz Bieber. “Eu definitivamente tive meus medos, com certeza, porque o mercado está muito ocupado e saturado. E eu tive que, obviamente, ter confiança em mim mesma e em nossa marca para realmente sentir que será algo refrescante e diferente.”

Através de sua própria pesquisa, Bieber formou uma noção do que as pessoas mais procuravam: hidratação. “Eu estava pedindo quantidades loucas de cuidados com a pele, tentando tudo o que era caro, barato e intermediário. E descobri que as coisas mais testadas e comprovadas eram os produtos solidamente formulados que eram acessíveis, onde eu podia dizer que as pessoas continuavam voltando [comprar], e era para isso que eu voltava também.” (Todos os produtos Rhode custam menos de US$ 30.) O lançamento inicial se concentra na manutenção da barreira de hidratação da pele. “Eu dei os produtos a muitos maquiadores diferentes para eles experimentarem em seus clientes e recebi um feedback muito bom sobre isso.”

Bieber começou a trabalhar em Rhode há dois anos e meio. Ela fez cursos de dermatologia on-line como uma porta de entrada para a exploração, mas se tornar uma especialista em cuidados com a pele da noite para o dia não estava em sua agenda. “Acho que [fazer os cursos] era apenas algo que eu queria fazer por mim mesma, honestamente”, diz ela. “Não era para eu ser capaz apenas de parecer inteligente ou saber do que estou falando. Eu estava apenas genuinamente interessada.” Ela sabia que precisaria montar uma equipe e, com essa percepção, se deu permissão para trabalhar em seu forte: a criatividade da marca.

Bieber está buscando uma estética onde a beleza natural seja priorizada e que faça com que os produtos pareçam “legais e atingíveis”, diz ela. “Eu estava realmente com intenção em criar imagens que pareciam atrair você, de uma maneira que parecesse saudável, parecesse real, parecesse convidativa.”

Tudo isso será suficiente para garantir o sucesso? “Estou muito feliz com tudo”, diz Bieber. “Tenho orgulho dos produtos que vão sair. Eu me sinto empolgada com o que virá mesmo depois disso e com o que posso continuar a desenvolver. Espero que as pessoas ponham as mãos nisso e que absolutamente amem. Mas se eles tiverem feedback, eu quero aceitar isso também.”

A maior esperança de Bieber para Rhode é que alguém possa escolhê-la e não saber que é sua marca. “Esse seria o meu sonho, realmente surpreender as pessoas.” Ela ri um pouco e desvia o olhar porque sabe: criar uma linha respeitável que possa sair da bolha da marca de celebridade levará tempo.

 ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > 2022 > ALLURE MAGAZINE – MAY

Hailey-Bieber-Allure-May-2022-Cover-DesignedCover.jpgNEW_Hailey-Biever-Allure-May-2022-Cover-1.jpgHailey-Bieber-Allure-May-2022-Cover-5.jpgHailey-Bieber-Allure-May-2022-Cover-4.jpg

 

Categorias: Capas, Entrevistas, Revistas

Tivemos recentemente uma publicação do Justin Bieber no dia 10 de Março, que intrigou o público, na qual o cantor postou uma foto ao lado de sua amada com a legenda: “Ninguém pode coloca-lá para baixo”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Justin Bieber (@justinbieber)

Os fãs até então começaram a se questionar se algo havia acontecido, ou se apenas novamente, Justin com seu jeito de se declarar. De fato, ambas alternativas estavam corretas. No sábado (12/03), o TMZ publicou uma matéria que repercutiu e abalou muito. A tradução vocês podem conferir a seguir: 

Hailey Bieber foi hospitalizada com uma condição cerebral que os médicos acham que pode estar relacionada ao COVID… fontes próximas a Hailey disseram ao TMZ.

Fomos informados de que Hailey foi internada em um hospital da área de Palm Springs há alguns dias depois de sofrer uma “emergência médica”. Dizem que afetou a maneira como ela se movia, e os sintomas são típicos de pessoas muito mais velhas. Hailey tem 25 anos.

Nossas fontes dizem que os médicos realizaram um tanto de testes e estão procurando ver se os sintomas envolvem o COVID. Como informamos, Justin contraiu COVID há algumas semanas e desde então se recuperou. Como você sabe, Justin teve que adiar seu show em Las Vegas, após contrair o vírus.

Fomos informados de que Hailey recebeu alta do hospital e os médicos ainda estão tentando determinar o que causou os problemas. Nossas fontes dizem que ela agora está bem.

Logo, os fãs que acompanham a Hailey trataram de se mover em massa a ponto de conseguir uma resposta sobre o suposto rumor. Kahlea, prima de Hailey e com diversas directs com baldwiners, tratou de esclarecer alguns pontos onde ela nega o fato da modelo estar internada, pois a própria, havia entrado em contato com a sua prima na noite anterior.


Por fim, a Bieber veio com em seu Instagram Stories com um texto que printou do seu bloco de notas, quebrando o mistério e dando a mensagem que eliminaria todos os rumores.


Ainda sim, sendo um caso delicado sobre a saúde, mesmo que ela confirme estar bem, há uma preocupação. E Justin Bieber que diria! – Ele durante um show da Justice World Tour em Denver, Colorado no dia (16/03), tratou de tranquilizar os fãs novamente. Sendo essa, a última informação sobre o caso da Hailey que tivemos. Portanto, ao que tudo indica ela segue bem e desejamos muita saúde e força nesse momento de susto.

A revista ‘The Perfect’ é uma novidade de ninguém mais do que Katie Grand, ex diretora criativa da famosa revista ‘Love’. O time incluso, tiveram a ideia de dar uma diversificada no que temos como conhecimento sobre essas magazines nos tempos atuais.

Como dito na promessa da marca de entregar e criar conteúdo, para a segunda edição da revista foram feitas capas em conjunto de artistas e também da nossa modelo Hailey Bieber. A intenção era abordar a ideia de celebridade em uma era de vigilância em massa – especificamente, como relacionamentos atuais de figuras públicas mudou quando os detalhes de suas próprias vidas estão cada vez mais acessíveis a pessoas que não conhecemos. – Dentro desse aspecto, Donavon Smallwood documenta Hailey Bieber sendo fotografada por Felix Cooper.  Assim como as outras celebridades da capa, em que todas são retratadas no olhar de outras pessoas. 

PHOTOSHOOTS > 2022 > THE PERFECT MAGAZINE: EXPOSURE

gxl_61f821dc-53b8-4040-9604-03ebac110002.jpeggxl_61f821dc-72d8-4fce-accf-2187ac110006.jpeggxl_61f821dc-4758-4666-b091-4886ac110002.jpeggxl_61f821dc-6ac4-48c5-850b-21bbac110006.jpeg

PHOTOSHOOTS > 2022 > THE PERFECT MAGAZINE: EXPOSURE (BACKSTAGE)

1657709-800w.jpg1657708-800w.jpg1657712-800w.jpg1657706-800w.jpg

Categorias: Capas

Fotografada por  David Sims, Hailey Bieber é a capa da edição de Maio da revista Vogue Paris, estilizado por Emmanuelle Alt, editora chefe do editorial, que se inspirou na icone, Deborah Harry, mais conhecida como Blondie, que ganhou fama por ser a vocalista e líder da banda de new wave Blondie. Confira

PBBR00002~16.pngPBBR00003~15.pngPBBR00013~9.pngPBBR00014~8.pngPBBR00010~9.png

 

Categorias: Capas, Revistas




Todos os direitos reservados - portal baldwin brasil © 2022
Desenvolvido por Maria Nunes & uni design